Concessionária faz realocação de retornos operacionais na MG-050, em Divinópolis

Wednesday, October 16, 2019


A AB Nascentes das Gerais informa que a partir desta sexta-feira (18/10), dois novos retornos operacionais começam a funcionar na região do km 124 da rodovia MG-050, em Divinópolis. Duas alças de retorno serão realocadas, uma do km 124,2 para o km 123,8 (retorno sentido SP) e outra do km 124,3 para o km 124,8 (retorno sentido BH). A mudança é provisória e necessária para a continuidade das obras de duplicação e interligação da MG-050 à Avenida Ibirité.

Todo o trecho vai receber sinalização especial para orientar os usuários sobre o novo trajeto. A AB Nascentes das Gerais solicita aos motoristas que mantenham a atenção e respeitem a sinalização e os limites de velocidade no trecho, uma vez que as intervenções são necessárias para a realização das obras, que vão trazer mais segurança e conforto aos usuários.


Obras em Divinópolis

A duplicação da rodovia entre os km 123,56 e km 124,92, com a construção de dispositivo em dois níveis de acesso e retorno da Avenida Ibirité com a MG-050 na região do bairro Alvorada e Serra Verde, está na fase de terraplenagem entre as marginais existentes, pavimentação e implantação de obras de arte.

Além desta frente de trabalho, a concessionária executa ainda, em Divinópolis, a implantação de interseção em dois níveis para acesso à Avenida JK, construção do novo acesso ao Distrito Industrial - que estão em fase de terraplenagem, pavimentação e implantação de obras de arte - e também obras de acesso ao bairro Quintino (em fase de terraplenagem).

Este conjunto de obras e melhorias vai ampliar a capacidade de tráfego e as condições de segurança na rodovia MG-050, beneficiando cerca de 10 mil motoristas diariamente. A previsão da concessionária é que estes trabalhos sejam entregues até o final de dezembro. 

Importante destacar que para a conclusão das obras de acesso ao bairro Quintino e Distrito Industrial no prazo informado a concessionária necessita que a COPASA e a CEMIG retirem tubulações de água e esgoto e postes de rede elétrica, respectivamente. Desta forma, o Estado é o responsável pela remoção destas interferências necessárias para a liberação das frentes de serviço e conclusão da obra.