Dicas de Segurança

Ultrapassagem

  • Primeiramente, respeite a sinalização ao planejar uma ultrapassagem. Certifique-se da boa visibilidade, sinalize a intenção e só então, pela esquerda e com segurança, ultrapasse. Se avistar o veículo traseiro sinalizando uma ultrapassagem mantenha-se à direita e reduza a aceleração.
  • Evite ultrapassagens perigosas. Volte logo à sua faixa.
  • Nunca ultrapasse pelo acostamento ou pela direita. Não ultrapasse em curvas e aclives, a não ser que tenha total visibilidade da pista contrária. Também não realize a ultrapassagem quando a faixa amarela que divide a pista for contínua.
  • Na chuva, a atenção tem de ser redobrada.
  • Só faça uma ultrapassagem com absoluta certeza de que conseguirá completá-la sem colocar em risco sua segurança e a dos demais veículos.
  • Em todos os momentos, respeite os limites de velocidade da via.

Sob neblina

  • Use farol baixo com neblina e mantenha ventilação no interior do veículo, água e para-brisa em funcionamento.
  • Cuide para manter a distância do veículo à frente. Se precisar parar no acostamento, acione o pisca alerta e sinalize a 100 metros.
  • Não utilize o pisca alerta com o veículo em movimento. Se o nevoeiro for intenso, busque um lugar seguro com postos de serviços.
  • Respeite sempre os limites de velocidade da via.

Sob fumaça

  • As queimadas podem trazer drásticas consequências para os usuários. Primeiramente, faça sua parte não soltando balões e não atire “bituca” de cigarro aceso pela janela do veículo.
  • Em caso de fumaça na rodovia procure um local seguro para parar e comunique a concessionária por meio do telefone 0800. Tente identificar a intensidade da nuvem; se conseguir enxergar através da fumaça dirija devagar e com os faróis e lanternas ligados. Caso a fumaça seja intensa, sinalize sua intenção de parar, sempre distante do incêndio e esteja atento quanto aos outros veículos.

Sob chuva

  • O cuidado também deve ser redobrado, a começar pela velocidade que deve ser diminuída. Para-brisa deve ser checado sempre.
  • Há três fatores que isolados ou combinados contribuem para a ocorrência de acidentes em períodos de chuva, portanto devem ser evitados: excesso de água na pista, pneu careca e velocidade excessiva.

Revisão do veículo

  • Só viaje se o seu veículo estiver em boas condições. Portanto, faça a manutenção com frequência.
  • A checagem dos pneus, extintor, óleo, água e suspensão são indispensáveis no dia-a-dia, especialmente no caso de viagens mais longas.

Pedestre

  • Evite andar nas rodovias, mas se ainda a caminhada for necessária, ande sempre no sentido contrário aos veículos e de preferência em vias alternativas ou paralelas às rodovias e acostamento. Durante a noite use roupas claras.
  • Para fazer a travessia de pista procure a passarela ou passagem para pedestre mais próxima ou certifique-se de que é possível fazê-la com segurança. O uso de lanterna é recomendável.
  • Os motoristas devem ficar atentos com os pedestres nas rodovias, principalmente em locais em que a sinalização indicar a travessia.

Motociclista

  • Em uma colisão, o motociclista é quase sempre o mais prejudicado. Para reduzir os riscos de um acidente é recomendado o uso de roupas apropriadas, de preferência claras durante a noite, manter capacete e moto com adesivo refletivo e se prevenir contra linha de pipa com cerol com a instalação de antenas adequadas para este fim.
  • Assim como os motoristas de veículos, os motociclistas também devem redobrar a atenção em situações de neblina e chuva.
  • Oriente sua carona a usar capacete, manter os pés nos pedais e a acompanhar as inclinações durante as manobras.
  • Lembre-se que o capacete tipo “coquinho” é proibido, bem como transportar crianças menores de sete anos.

Meio Ambiente

  • Todos os dias, objetos de tipos mais variados são jogados nas rodovias ocasionando, além do desconforto, eventuais acidentes.
  • O trabalho de limpeza deste lixo é feito diariamente pela concessionária, que dispõe de equipes que primeiro realizam o recolhimento manual de cada item encontrado na rodovia e os armazenam em sacos para depois serem retirados por caminhões. Os materiais mais encontrados nas rodovias são os de origem plástica (garrafas PET), papel, papelão e metais (latas de alumínio).
  • O lixo deixado nas vias, principalmente lançado pelo próprio usuário, é uma oportunidade para proliferação de mosquitos da dengue, como na água depositada pela chuva nos objetos, por exemplo. Já o lixo orgânico, como restos de comida deixados em sacos plásticos, é altamente prejudicial à fauna lindeira das rodovias. Ao procurar alimentos nos acúmulos de lixo depositados próximos das pistas, muitos animais acabam ingerindo objetos plásticos, o que os leva à morte por sufocamento. Em busca destes resíduos, eles também podem provocar acidentes, já que invadem as faixas de rolamento dos veículos. Além disso, o lixo pode obstruir o sistema de drenagem das vias e a água que porventura possa alcançar as pistas forma uma película sobre a rodovia, deixando os veículos sujeitos a deslizarem e perderem a aderência com o solo e causar acidentes.
  • Os motoristas que arremessam resíduos na rodovia podem, inclusive, receber multa. O artigo 172 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê que atirar do veículo ou abandonar na via objetos ou substâncias é infração média, sujeita a multa e perda de quatro pontos na Carteira de Habilitação.

Gestante

  • A gestante deve usar o cinto, atado de maneira segura e confortável; nem apertado nem frouxo demais. A folga entre o cinto e o corpo deve ser no máximo de 5 cm (ou o equivalente ao seu punho). Nunca passe o cinto por baixo do braço.

Distância entre veículos

  • Atenção com a distância. O espaço entre o seu veículo e o da frente deverá ser de pelo menos 2 segundos. Para medir isso, olhe para um ponto de referência, quando o veiculo da frente passar por ele conte "um mil e um, um mil e dois".
  • Se você passar pelo mesmo ponto antes de acabar de contar, significa que está perto demais. Aumente a distância e evite também a colisão traseira.

Dirigir à noite

  • Durante a noite, a visibilidade é menor e quanto maior a velocidade do veículo menor o campo de visão. O farol é fator determinante para dirigir à noite, portanto, o ideal é mantê-lo regulado. Porém, pode ocorrer da luz do farol alheio ofuscar a visão do motorista. Neste caso, basta direcionar o olhar para o acostamento.
  • Respeite sempre os limites de velocidade da via.

Crianças

  • Crianças de até 1 ano devem usar o bebê-conforto ou poltrona reversível voltados para a traseira do veículo.
  • Crianças de 1 a 4 anos têm de usar poltronas reversíveis específicas para crianças de até 16kg.
  • Crianças de 4 até 7 anos e meio devem utilizar o assento de elevação, ou booster, com o cinto de segurança de três pontos do carro.
  • Crianças de 7 anos e meio a 10 anos devem viajar no banco traseiro com o cinto de segurança do veículo
  • Se houver mais de três crianças abaixo de 10 anos no carro, a mais alta pode ir no banco da frente com o dispositivo de retenção adequado (cadeirinha ou booster, se tiver menos de 7 anos e meio) para sua altura e peso. O mesmo se aplica a carros que não tenham banco traseiro ou em que não seja possível instalar cadeirinhas. Especialistas, porém, não recomendam que crianças viajem no banco da frente.

Cinto de Segurança

  • Use sempre o cinto de segurança. Em caso de colisão, ele impede que seu corpo se choque contra o volante, painel e para-brisa e de ser projetado para fora do veículo.
  • No caso de acidente grave, o cinto aumenta em 50% a proteção dos passageiros. Se o veículo estiver a 20 km/h e colidir, a sua cabeça será projetada a cerca de 20 km/h contra o para-brisa. É o suficiente para provocar a perfuração do globo ocular. Portanto, o uso do cinto de segurança é necessário mesmo em baixa velocidade.
  • Qualquer passageiro que viaje no banco traseiro deve obrigatoriamente usar o cinto. Caso contrário se houver colisão ele será jogado sobre os passageiros da frente, agravando o acidente.
  • Pela lei, em caso de acidente, o motorista é responsável pelas pessoas que transporta em seu veículo.
  • Use o cinto e exija que todos no seu veículo também o façam.

Cigarro

  • Evite fumar ao dirigir. Peritos comprovam que, além de ser prejudicial à saúde, o estrago causado pelo cigarro durante um acidente pode ser irreversível (queimaduras, cegueira e outros danos à saúde).

Celular

  • Nunca use o celular enquanto dirige, pois ele desvia a atenção do motorista. Em uma troca de mensagens, por exemplo, o motorista pode ficar até 23 segundos com atenção reduzida no trânsito. Parece pouco, mas é tempo suficiente para que um carro a 60 km/h percorra 380 metros (equivalente a três campos de futebol) sem que o condutor esteja completamente atento ao trânsito em volta. O percurso aumenta para 650 metros se o veículo estiver a 100 km/h. Além do risco de acidentes, o uso de celular enquanto dirige também pode gerar multa.


Casos de emergência

  • Seja qual for a situação, a concessionária oferece o serviço de atendimento 0800 que funciona 24h.
  • Use o acostamento somente em caso de emergência e sinalize adequadamente a sua parada.

Álcool

  • Não beba antes, durante e nem depois de dirigir. A ação do álcool no organismo pode reduzir os reflexos, além de induzir ao sono.
  • O álcool não é estimulante, é depressivo. Todo motorista embriagado arrisca sua vida e a de outras pessoas.
  • Também não dirija sob efeito de outros tipos de drogas. Você pode ter sono e alucinações, com uma viagem sem volta.

Acostamento

  • Não trafegue pelo acostamento. Com essa atitude, o motorista pode ser autuado com multa prevista por lei. Além do mais, o acostamento não é apropriado para tráfego de veículos, especialmente os mais pesados como caminhões.
  • As paradas em acostamento só são permitidas em caso de emergência.
  • Obedeça sempre a sinalização. Ela tem o propósito de alertar o motorista quanto à velocidade permitida e interferências na rodovia. Além de indicar acessos e retornos, elas trazem diversas mensagens para auxiliar na segurança e boa trafegabilidade.